Uma excelente semana com muitas novidades na área da tecnologia. Algumas notícias boas outras más é verdade, mas cá estamos tentando sobreviver, não é mesmo? rsrsrs

A surpresa financeira da semana foi o reajuste da mensalidade da Netflix. A empresa já havia anunciado que mudaria o valor, mas por questões comerciais havia postergado a mudança dos assinantes antigos.

Enfim a data do reajuste chegou e apesar do pouco volume financeiro o reajuste foi pesado! A mensalidade que era de R$16,90 passou para R$19,90. Levando em conta que nossa inflação está na casa dos 8,5% tivemos um spread (diferença entre a inflação e o aumento da mensalidade) de nada menos que 9,25%.

netflix-geekonomics

Olhando assim até parece que o aumento foi abusivo, não é mesmo? No total o reajuste da mensalidade do Netflix aumentou em 17,75%. Mas não precisa desesperar, afinal esse aumento não vai falir ninguém no curto prazo, mas pagando a mais os 17,75% vamos acabar perdendo algo, certo?

Em economia chamamos isso de custo de oportunidade, que nada mais é do que aquilo que você desiste ou renuncia para ter algo. No caso do Netflix estamos renunciando R$3,00 (R$19,90 – R$16,90 = R$3,00) por mês para continuarmos assinantes.

Mas esse post não é sobre os R$3,00.

nao-e-pelos-3-reais-geekonomics

O problema todo está na expectativa. O aumento de 17,75% foi muito acima da expectativa. A inflação em 12 meses está em 8,47% (IPCA) mas o Netflix aumentou mais que o dobro disso.

Eu esperava pelo menos o aumento da inflação, mas infelizmente foi maior e isso parece ser uma tendência do mercado cinematográfico. Se analisarmos os preços médios de ingressos no Brasil de 2008 até 2015 (Dados da ANCINE) veremos que o preço sobre sempre mais que a inflação. Coloquei isso em gráfico, segue abaixo.

netflix-ipca-ingressos-geekonomics

Não há muito o que fazer além de choramingar nossos R$36,00 a mais por ano. Resta a torcer para que os demais serviços de streaming de vídeos façam mais frente ao Netflix e para que o número de assinantes aumente. Assim é de se esperar que os preços pelo menos acompanhem os aumentos médios do mercado.

Até a próxima pessoal.