Depois de todo ritual para entrar, o que vimos este ano na Campus Party não chega a impressionar, mas sim a preocupar.

Desde 2012 frequentando o evento em São Paulo, este ano a sensação de dificuldade, narrada pelo @PacoRagageles, em carta aberta a todos os campuseiros, fica clara a dificuldade para viabilização do evento este ano.

palcos-geekonomics-cpbr9

Em meu primeiro post direto da #CPBR9 já comentei um pouco sobre as dificuldades e riscos do modelo de financiamento da Campus e como isso pode impactar em edições futuras do evento.

Você pode conferir o post clicando AQUI

É claro que a estrutura é apenas um detalhe. O que importa mesmo são os conteúdos, o networking e claro os campuseiros.

São Paulo- SP- Brasil- 03/05/2015- Primeiros campuseiros começam a chegao ao Centro de Exposições Imigrantes, para acamparem durante a Campus Party Brasil 8. Foto: Evilyn Guedes/ Campus Party Brasil

Foto: Evilyn Guedes/ Campus Party Brasil

No entanto existem limites aceitáveis. A julgar pelas dificuldades de anos anteriores, que eram inúmeras, fica ainda a dúvida se a nova estrutura de internet da Telebras dará conta do recado. A estrutura de internet (Cérebro) também está menor e a primeira vista mais simples.

Todo evento do tamanho de uma campus party, sempre enfrentará novos desafios e isso faz parte da evolução natural de qualquer iniciativa.

É importante no entanto, enfrentar as dificuldades de maneira criativa e ampliando o leque de apoiadores, evitando o risco de ter apenas incentivos públicos.

desafios-cpbr9

Certamente também há componentes da crise econômica impactando para a realização da Campus Party, seja via fuga de apoios e patrocínios, seja pelo encarecimento dos custos para viabilizar o evento.

Enquanto é fácil constatar os impactos das dificuldades para a organização é muito complicado prever o future da Campus.

E você aí se perguntando onde é que a crise pode afetar seu negócio.