A Teoria do Sistema Dual sustenta que existem dois modos de processamento distintos no cérebro, disponíveis para execução das tarefas cognitivas:

Sistema 1: que é rápido, automático, associativo e não consciente, que exige pouco esforço cognitivo quando da sua execução.

Sistema 2: que é lento, controlado e consciente e que exige muito esforço cognitivo quando da sua execução.

Tipicamente, os vieses cognitivos são atribuídos ao Sistema 1, que são considerados heurísticos ou associativos, e respostas lógicas ao Sistema 2, que são caracterizados como baseados em regras ou analíticos.

As teorias de sistemas dual vão além e atribuem esses dois tipos de processos a dois sistemas de raciocínio separados, Sistema 1 e Sistema 2 – uma visão às vezes descrita como “a hipótese das duas mentes”. Costuma-se afirmar que o Sistema 2 é exclusivamente humano e a fonte de nossa capacidade de pensamento abstrato e hipotético. (Kahneman, 2011)

Fatores que tornam os processos do Sistema 1 predominantes na tomada de decisões incluem processamento cognitivo de menor esforço utilizado quase sempre em situações onde estão presentes distrações, pressão de tempo, opções padrão, tarefas recorrentes (automatismos e heurísticas).

Já os processos do Sistema 2apresentam tendência a serem ativados quando a decisão envolve um objeto importante, quando há aumento da relevância pessoal e quando o tomador de decisão é responsabilizado por outros (Samson & Voyer, 2012; Samson & Voyer, 2014). Também apresenta tendência à ativação maior quando há necessidade de cálculos numéricos sofisticados.

 

REFERÊNCIAS

KAHNEMAN, Daniel. Rápido e devagar: duas formas de pensar. Objetiva, 2012.

Samson, A., & Voyer, B. (2014). Emergency purchasing situations: Implications for consumer decision-making. Journal of Economic Psychology, 44, 21-33.

Samson, A., & Voyer, B. (2012). Two minds, three ways: Dual system and process models in consumer psychology. Academy of Marketing Science Review, 2, 48–71.