Eureka

O que explica a preferência do brasileiro pelo Whatsapp?

preferencia-whatsapp-capa
[et_pb_section bb_built=”1″ _builder_version=”3.0.47″][et_pb_row _builder_version=”3.0.47″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

Sempre me perguntei porque o Whatsapp se tornou o fenômeno que vemos nos dias de hoje? Essa pergunta vem me incomodando já faz algum tempo e parece que quanto mais pesquiso, menos encontro respostas satisfatórias para essa questão.

O que me motivou a escrever este post foram algumas reflexões de eventos que aconteceram por aqui nos últimos anos. Seja por determinação da justiça ou por problemas técnicos, o Brasil já vivenciou algumas interrupções de funcionamento do Whatsapp.

Se você já era usuário do aplicativo quando alguma dessas interrupções aconteceram, vai lembrar que imediatamente após a parada, usuários enlouquecidos logo encontravam uma alternativa para se manterem em contato sem serem afetados pela interrupção do Whatsapp.

Em geral, baseado na minha experiência, meus contatos migravam quase que instantaneamente para o Telegram. Em Economia Comportamental algumas heurísticas e vieses podem explicar o movimento como por exemplo: comportamento de manada, heurística do reconhecimento, princípio da racionalidade limitada e prova social.

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_image src=”http://geekonomics.com.br/wp-content/uploads/2018/01/whatsapp-telegram.jpg” _builder_version=”3.0.98″ align=”center” force_fullwidth=”on” /][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

Mas o que realmente espanta é que imediatamente após o retorno do Whatsapp todos usuários deixavam de utilizar o telegram e retornavam ao aplicativo. É de se esperar que eventos de interrupção provocasse uma migração, mas isso nem de longe aconteceu com Whatsapp.

Já me perguntei se não seria por simples comodismo ou mesmo por inércia, ou quem sabe até devido a atributos presentes apenas no Whatsapp como qualidade, facilidade de uso etc. Mas avaliando as funcionalidades e utilizando o Telegram, esta opção á facilmente refutada. Isto porque em termos de qualidade, ambos se situam num patamar muito próximo. Se for considerar as funcionalidades, aí fica impossível entender o retorno dos usuários ao Whatsapp, pois o Telegram tem muitas funcionalidades superiores.

Abaixo segue uma comparação de 2015, que apesar de estar um pouco desatualizada, serve para exemplificar.

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_image src=”http://geekonomics.com.br/wp-content/uploads/2018/01/CX6sA3IWQAAoghP.jpg” _builder_version=”3.0.98″ align=”center” /][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

Então que seria determinante para que a grande maioria mantivesse o Whatsapp, mesmo no contexto das paradas no serviço?

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ text_font_size=”22px” background_layout=”light”]

Eu tenho algumas hipóteses, e resolvi compartilhar aqui:

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

– Muitas pessoas podem não ter se dado conta que o Whatsapp parou de funcionar;

– As pessoas podem ter tido preguiça de reconfigurar novos grupos de mensagens em outro aplicativo;

– O comportamento de manda pode ter ocorrido em duas direções, ou seja, quando o Whatsapp parou todos se comportaram como manada e foram para Telegram. Quando Whatsapp reestabeleceu o serviço, todos retornaram com o mesmo comportamento de manada;

– Usuários querem mesmo é pertencer ao grupo social. Se todos estão no Whatsapp é para lá que eu vou;

– Não tendo informações e conhecimento suficiente para escolher racionalmente qual aplicativo usar, os usuários usam o que lhes é mais comum e familiar (Homer Economicus);

– O Whatsapp é verde e essa cor, segundo a psicologia das cores é mais indicada para aplicativos de mensagens;

– O Telegram é Russo e não confio neles como guardiões de minhas conversas, né Trump?

– O Telegram tem um monte de função que as pessoas não querem. Menos é mais;

– Existe uma espécie de padrão oculto onde todos os aplicativos verdes se referem a mensagens ou ligações e o usuário identifica o Whatsapp com essas funções por também ser verde acionando um automatismo no momento da escolha de qual aplicativo utilizar;

– Nos sistemas operacionais mais usados em telefones celulares (iOS e Android), a cor verde se refere à comunicação, então o Whatsapp seria favorecido pelo automatismo do sistema 1, apresentando maior tendência a ser escolhido, por ser mais facilmente identificado e exigir menos esforço cognitivo do cérebro.

Tá, eu sei, estou viajando muito né?

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_image src=”http://geekonomics.com.br/wp-content/uploads/2018/01/Cucu-Crazy-Nuts-Insane-GIF.gif” _builder_version=”3.0.98″ force_fullwidth=”on” /][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

Pode até ser que esteja, no entanto se eu fosse o pessoal do Marketing ou do desenvolvimento de produtos do Telegram eu testaria algumas coisas como por exemplo a mudança na cor do aplicativo. Quem sabe numa dessas eles não viram a mesa?

Essa opção de mudar a cor, pode parecer menos absurda se analisarmos o outros aplicativos de mensagem instantânea do mercado. Alguns como o Line, o Wechat ou o Kik Messenger tem tido bons desempenhos e todos são verdes.

Teoria da conspiração à parte, o mais provável mesmo é que eu esteja usando a heurística da confirmação. No entanto, acho que temos aqui algumas boas perguntas para testes A / B ou quem sabe até mesmo para experimentos comportamentais relacionados aos fatores que impactam na escolha de aplicativos?

[/et_pb_text][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_testimonial _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light” quote_icon_color=”#000000″ url_new_window=”off” quote_icon=”on” use_background_color=”on” quote_icon_background_color=”#f5f5f5″]

Heurística da Confirmação

O viés de confirmação ocorre quando as pessoas procuram ou avaliam informações de uma maneira que se encaixa com seus pensamentos e preconceitos existentes. Muitas a heurística da confirmação é associada a pessoas tentando reforçar as atitudes e crenças existentes.

Nickerson, R. S. (1998). Confirmation bias: A ubiquitous phenomenon in many guises. Review of General Psychology, 2, 175-220.

[/et_pb_testimonial][et_pb_divider _builder_version=”3.0.98″ /][et_pb_text _builder_version=”3.0.98″ background_layout=”light”]

Vou parando por aqui, pois já estou pensando aqui se há os aplicativos relacionados às notícias mais usados são em sua maioria da cor vermelha?

Espero não estar ficando paranoico ou louco. Até o próximo ato de loucura post.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

About the author

Anderson Mattozinhos

Anderson Mattozinhos

Economista, bookaholic, tecnófilo e jogador inveterado de videogames.

Fique Atualizado

Categorias

Gostou desse conteúdo?

Se cadastre na nossa newsletter e não perca mais nada! Receba notícias, novidades sobre Economia Comportamental e atualizações de novos posts.

Você se cadastrou com sucesso!