O Instagram divulgou que está testando uma ferramenta mais proativa com base em Nudge em seus comentários, para tentar reduzir os casos de cyber bullying. Esse recurso usará o aprendizado de máquina (Machine Learning) para detectar quando um usuário está prestes a fazer um comentário agressivo ou hostil e avisá-lo levemente para não o fazer.

A informação foi divulgada na F8, conferência anual do Facebook de 2019, que está disponível online para quem tiver interesse em assistir. Deixo o link logo abaixo e após sigo comentando a respeito do Nudge a ser implementado no Instagram.

Segundo a empresa: “A notificação não impede postagens e ação do adicional do usuário é necessária, mas nossa intenção é encorajar as pessoas a fazer uma pausa e refletir sobre um comentário potencialmente prejudicial antes de publicá-lo”.

Certamente, não parece ser tão fácil prevenir o bullying online. Certo?

À primeira vista, parece que educadamente pedir a alguém para se comportar online seria tão eficaz quanto dizer a maré para não subir. No entanto, de acordo com Sameer Hinduja, co-diretor do Cyberbullying Research Center e professor de criminologia na Florida Atlantic University, pode ser uma ferramenta mais eficaz do que pensamos.

“Todos nós geralmente tentamos fazer as coisas que são socialmente desejáveis ​​… Queremos dar o nosso melhor para frente, queremos parecer simpáticos, para os outros em geral. Nossa intenção é incentivar as pessoas a fazer uma pausa e refletir sobre um comentário potencialmente prejudicial antes de postá-lo.”

Sameer Hinduja, co-diretor do Cyberbullying Research Center

Ao se comunicarem frente a frente, as pessoas tendem a ter um senso instintivo do que é socialmente aceitável e aderem a ele, mesmo que pensem em dizer algo agressivo ou mesquinho. Os Nudges ou cutucadas que estão sendo testados pelo Instagram poderiam ter uma função semelhante à pressão social sem ser tão diretamente conflituosa e restritiva quanto um bloqueio ou banimento.

Ao utilizar de ferramentas da Economia Comportamental como Nudges, o Instagram se junta a muitas outras empresas que têm utilizado com sucesso pequenas intervenções contextuais para conduzir as pessoas a decisões e comportamentos melhores.

E a causa do cyber bullying nem de longe é uma causa sem importância. Temos a tendência a minizar os efeitos de ofensas online, mas isso sem dúvida nos dias de hoje é um erro. Os efeitos de ofensas online reverberam e têm impacto enorme em exposição. Por isso e por também por estarmos constantemente preocupados com nossa reputação online, é que o problema deve ser encarado de frente.

Para se ter uma ideia vejam este dado a respeito de uma pesquisa realizada nos EUA em 2018 sobre cyberbullying:

Desde os escândalos envolvendo a privacidade dos dados dos usuários que atingiram o Facebook e tem abalado a confiança e lançado os olhos de reguladores governamentais na gestão e manutenção das redes sociais, muito se tem feito para que haja um uso mais responsável por parte dos usuários.

Há ainda, no entanto, várias frentes de batalha onde não se tem notícia de que as redes têm conseguido ganhar terreno. O Cyber Bullying é sem dúvida uma dessas frentes. Outras duas mais em evidência atualmente são: o combate às Fake News e a proteção de dados pessoais dos usuários.

Se as empresas responsáveis pelo Facebook e Instagram terão sucesso, é difícil dizer. O que podemos saldar por agora, no entanto, é que certamente a Economia e as Ciências Comportamentais têm muito a contribuir para o uso mais sadio e responsável das redes sociais, sem que para isso seja necessário restringir ou limitar a liberdade dos usuários.

Em tempo, essa matéria publicada por aqui foi feita com base em informações publicadas em outro texto ao qual segue a referência abaixo e que recomendo demais a leitura. Para que fosse possível publicar aqui este post, o conteúdo original foi traduzido e adaptado.

Referência