O dia finalmente chegou!

O Instagram já oculta as curtidas (likes) em suas postagens para usuários no Brasil e muitos outros países. Um dos principais instrumentos que media o desempenho e a relevância dos conteúdos publicados não servirá mais como âncora a interferir naquilo que as pessoas gostam ou dizem gostar.

Como ficam os influenciadores?

Difícil saber o real impacto para os influenciadores. A quantidade de curtidas em um post não pode ser atrelada totalmente ao sucesso de um post. Não se tem evidências de que ter muitas curtidas em uma postagem seja determinante para aumentar a audiência de um perfil.

No entanto é verdade que as curtidas medem popularidade e que essa popularidade interfere na timeline. O algoritmo do Instagram, assim como outras redes, mostra primeiro aqueles posts mais populares e esta é medida, ao menos em parte, pelas curtidas. Esse talvez seja o motivo do Instagram ter mantido a contagem para quem posta algo. Quem posta no Instagram, ainda saberá quantas curtidas recebeu em cada postagem. Quem não verá mais as curtidas é a audiência.

Pensando em termos de comportamento, pode ser que os likes (curtidas) funcionassem como uma espécie de prova social. Ver a quantidade de curtidas de um post, neste caso, poderia incentivar outras pessoas a curtirem o conteúdo. Algo como uma espécie de efeito manada.

Vamos ver como seria essa dinâmica do ponto de vista da Economia Comportamental?

ECONOMIA COMPORTAMENTAL: CURTIDAS E PROVA SOCIAL

Em economia comportamental, pesquisas sugerem que a prova social é uma influência informativa (ou norma descritiva) e pode levar ao comportamento de manada. Pensando nas curtidas do Instagram como indutoras de comportamento, pode ser que haja uma queda no engajamento quando as curtidas ficarem ocultas para a audiência.

Em geral Prova social também pode ser considerada uma espécie de comportamento que denota conformidade. Quando não sabemos como nos comportar ou quanto desejamos pertencer a determinado grupo social ou ser visto de determinada maneira socialmente, apresentamos tendência a copiar o comportamento dos outros.

Em geral não queremos ser diferentes do grupo ao qual pertencemos.

Somos seres sociais e nossa evolução mostra que como tal, tendemos a adotar comportamentos coerentes com o grupo ao qual pertencemos. Essa conformidade pode ser um dos fatores que levam as pessoas a gostar de posts com muitas curtidas.

Imagine que acabo de entrar para o MBA de Economia Comportamental. Como aluno, meu interesse pela área tende a aumentar, passo a buscar conteúdo sobre a área e desejo estar sempre atualizado com as novidades sobre o assunto. Mas o mais importante aqui, é que eu passo também a desejar ser identificado como pertencente ao grupo de profissionais ou interessados na área.

Há várias formas de se expressar pertencimento em redes sociais. Inserir o início do novo curso no perfil do Linkedin, postar fotos das aulas, materiais e eventos do tema, comentar e postar sobre o assunto…

As curtidas podem ter um papel importante para esse comportamento.

Quem sabe essa necessidade de conformidade e pertencimento com o grupo não esteja estimulando que pessoas curtam postagens com determinada temática, apenas para se mostrarem como membros daquele grupo?

Se for esse o caso, veremos o engajamento medido por curtidas diminuir cada vez mais. Afinal a curtida deixou de ser a prova social de engajamento e pertencimento ao grupo.

O QUE VEM DEPOIS DOS LIKES?

Perder as curtidas como forma de prova social é sem dúvida perder um importante motor de engajamento. Pense comigo: Quantas vezes você curtiu um post e nem leu o que estava escrito?

Eu questiono muito o engajamento via curtidas. Algumas vezes já conversando com seguidores aqui do Geek e de meus perfis pessoais, que curtiam tudo que eu publicava, eu percebia que quando puxava conversa, muitos não haviam lido o post, apenas tinham deixado o like mesmo.

Com isso, cortar as curtidas pode mudar o comportamento no Instagram. Posts longos podem simplesmente desaparecer e muito do que era compartilhado em texto, pode acabar virando vídeo ou simplesmente desaparecendo.

OS POSTS COM TEXTO PODEM DESAPARECER DO INSTAGRAM?

Tá bom, eu concordo que parece meio apocalíptica essa reflexão, mas pensem um instante e vejam se concordam com minha linha de raciocínio.

Pesquisas dão conta de que pessoas podem preferir se comunicar via redes sociais, simplesmente porque esse tipo de comunicação demanda menos esforço cognitivo.

Como assim?

Um estudo de Sanfey et al (2003) utilizando ferramentas da neuroeconomia obteve resultados em que pessoas apresentaram reações emocionais com maior intensidade, quando a interação era realizada com humanos do que quando realizada por computadores.

Refletindo sobre essa pesquisa, podemos pensar que a interação com parceiros humanos requer mais envolvimento emocional e, portanto, mais esforço cognitivo do que interagir com um computador (Rilling, Sanfey, Aronson, Nystrom, & Cohen, 2004).

Assim, curtir um post é simples, rápido e reforça a posição do usuário como pertencente ao grupo. Além disso, passa uma imagem de conformidade e demanda quase nenhum esforço cognitivo.

Gostei da foto, like!

Post do perfil de referência na minha área de interesse, like!

Posts com legenda apenas, sem textão, like!

Memes like!

Vídeos? Like!

Stories? Like, like, like…

Parece que quanto mais simples e efêmero maior o engajamento. Hum, e esse pode ser um excelente de pesquisa hein!

Por isso pode ser que os posts com textões quase do tamanho de blog posts possam estar com os dias contados. Afinal de contas redes sociais como Instagram e TikTok servem mais para firmar reputação do que como fonte de conhecimento e conteúdo.

E essa mudança, acho que vai consolidar um novo caminho para o Instagram. Afinal hoje as redes ainda têm muito post simples, com pouco texto, mas tem também muito perfil que desistiu do site convencional e transformou o Instagram praticamente num blog.

Posts com textões têm sido frequentes dando ideia de que pessoas podem desejar se engajar em conteúdos mais aprofundados na rede. Mas isso na minha opinião está com os dias contados.

O motivo?

Os textões, na minha opinião, tinham o engajamento artificialmente elevado. A grande maioria apenas deixava a curtida para ser cool, cult ou simplesmente se mostrar interessada no conteúdo. Mas a verdade é que poucos liam o que estava escrito no textão.

Parece que com a remoção das curtidas, o Instagram voltará a ser apenas mais uma boa e velha rede social. Tudo baseado em imagem e vídeos curtos de baixa repercussão emocional. O foco volta a ser o cotidiano incomum das celebridades da internet ou daqueles que viram memes ou ainda para os surfam em seus quinze minutos de fama.

Até o próximo post folks!

FONTES

https://stanford.edu/~knutson/bad/sanfey03.pdf

https://www.psychologytoday.com/us/blog/behind-online-behavior/201408/the-psychology-behind-social-media-interactions