Tomada de decisões: a visão de Gigerenzer - Geekonomics
Economia Comportamental

Tomada de decisões: a visão de Gigerenzer

tomada de decisoes - capa

Os seguidores do Geekonomics já estão habituados com os ensinamentos de Daniel Kahneman sobre tomada de decisões. Sobre as heurísticas, sistema 1 e 2 entre outros pontos. Hoje vamos falar de um opositor. E porque ele se opõe.

Gerd Gigerenzer é um psicólogo alemão que contraria a muitos dos achados de Kahneman e Tversky. Ele é defensor da ideia de racionalidade ecológica, que eu particularmente achei extremamente interessante e realista, para ele a racionalidade é adaptativa ao ambiente que lhe é cobrada ela então deve ser observada do ponto de vista se é funcional ou não. E não ser observada com problemas pré montados e taxar aqueles que respondem fora dos padrões de desvios de racionalidade. Olhar para esses desvios seria o chamado erro do tipo 3. Respostas certas para os problemas errados.

Vou dar um exemplo. Vocês já devem ter visto a heurística da representatividade. Que propõe o seguinte:

  • Linda é uma mulher solteira, com 30 anos, sincera e brilhante. Formou-se em filosofia e nos tempos de estudante preocupava-se com questões de discriminação e justiça social, assim como participava em demonstrações antinucleares. Sabendo isto, qual a alternativa mais provável?
  1. a) A Linda trabalha num banco.
  2. b) A Linda trabalha num banco e é ativa no movimento feminista.

Nos trabalhos de Kahneman e Tversky eles demonstram que é mais fácil a letra A ser provável, uma vez que a probabilidade de 2 eventos nunca pode ser maior que de 1 evento acontecer. As pessoas respondiam B, “irracionalmente”. É mais provável Linda ser bancária do que bancária e ativa no movimento feministas. Vou desenhar.

tomada de decisoes - linda

Isso mostraria a irracionalidade do agente. Porém para Gigerenzer a linha de raciocínio que se segue é: Estou criticando um modelo em que todos são racionais (o modelo homo economicus). E cobro uma racionalidade de probabilidade para o indivíduo e caso ele não aja dessa forma ele é um agente irracional? Isso não faz sentido.

O alemão então propõe que isso é uma pegadinha. Responda o caso de Linda a seguir:

  • Linda é uma mulher solteira, com 30 anos, sincera e brilhante. Formou-se em filosofia e nos tempos de estudante preocupava-se com questões de discriminação e justiça social, assim como participava em demonstrações antinucleares. Existem 100 pessoas que encaixam na descrição acima, sabendo disso quantas delas são?
  1. a) Bancárias.
  2. b) Bancárias e ativas no movimento feminista.

Muda um pouco não? A palavra “provável” utilizada no primeiro problema pode ser usada como condição matemática (que aí responderia o problema da forma que Kahneman queria) porém “provável” é na maior parte do tempo não entendido como matemática e sim como “o que é mais plausível”. E isso por si só induziria a resposta errada.

Esse é um dos argumentos de Gigerenzer. A ideia dele é enxergar a racionalidade por meio dos processos evolutivos que nos trouxeram até aqui. A visão de heurística dele é uma visão mais adaptativa ao meio e ao ambiente. Mas deixa que outros pontos eu trago depois para vocês.

About the author

Rafael Jordão

Rafael Jordão

Rafael Jordão, é psicólogo de formação pela Universidade de Uberaba, possui MBA na área de Economia Comportamental pela ESPM e é mestrando em Psicobiologia na linha de comportamento econômico na USP. Atualmente é psicólogo organizacional na Ebserh. @rafael.jordao

Instagram

Connection error. Connection fail between instagram and your server. Please try again

Fique Atualizado

Categorias

Gostou desse conteúdo?

Se cadastre na nossa newsletter e não perca mais nada! Receba notícias, novidades sobre Economia Comportamental e atualizações de novos posts.

Você se cadastrou com sucesso!