Memória e aprendizado com filmes e séries - Geekonomics
Eureka

Memória e aprendizado com filmes e séries

memoria aprendizado - capa ok 2

Por que gravamos mais facilmente na memória as histórias que nos contam, do que os dados estatísticos ou outras informações que tentamos decorar?

Talvez esta questão esteja na raiz de nossa necessidade de compartilhar experiências antes mesmo de haver a escrita, ou quem sabe pela necessidade de compartilhar experiências antes mesmo que houvesse gráficas, copiadoras ou reproduções de livros em larga escala e em vários idiomas.

Não vou entrar no mérito da questão em termos de neurociência, mas sim do ponto de vista mais prático e objetivo. Fato é que aprendemos muito melhor quando aquilo que nos é ensinado, é feito por meio de histórias ou experiências narrativas.

Memória aprendizado e storytelling

Esse processo que acabou se popularizando com termo em inglês storytelling já foi exaustivamente discutido, debatido e já está muito bem estabelecido hoje em dia. No entanto ainda me surpreendo como penso sobre este assunto, principalmente quando reflito sobre o tema.

Apesar e saiba que as em geral as pessoas aprendem mais facilmente, fixando melhor conteúdos quando são repassados com narrativas elaboradas (storytelling), ainda vejo um distanciamento do ensino tradicional frente a tais descobertas.

Esta semana uma leitura me trouxe novamente ao tema da aprendizagem e do storytelling. Um artigo meio estranho me chamou a atenção e na hora associei a temática e não parei mais pensar a respeito. O artigo, foi publicado no site da Revista Nautilus com o título: Horror Fans Have More Fun During a Pandemic. Traduzindo livremente fica assim: Os fãs de terror se divertem mais durante uma pandemia.

Sempre consumi muita literatura, filmes e séries, nem sempre de terror, é verdade, mas acredito que a ficção tem um papel importante em nossa formação e aprendizado. Claro que não falo do tipo de aprendizado técnico, mas sim do emocional e talvez, quem sabe, até mesmo do aprendizado ético e moral. Afinal quem nunca ficou meio revoltado de lembrar na memória mínimos detalhes, situações presentes em livros, filmes e séries, mesmo depois de muito tempo, mas esquecer o conteúdo lido e estudado ontem para uma prova ou teste?

Nossa memória parece funcionar de forma completa ao que desejamos às vezes. Lembrar aleatoriedades e esquecer conteúdos que precisamos algo importante como uma prova, é um exemplo.

Narrativas presentes em bons livros de literatura, seriados e filmes, ficam mais tempo na memória e sempre instigam minha imaginação e mais do que isso, instigam também reflexões a respeito das temáticas abordadas. Sobre esse assunto sigo citando uma parte interessante do artigo que mencionei acima.

Citando o autor da pesquisa no artigo da revista:

Ainda assim, nossos resultados estão alinhados com a ideia de que a ficção é usada para simular mundos possíveis e que essas simulações podem nos servir bem na vida real.

Em outras palavras, o público pode aprender indiretamente informações úteis ao “brincar” com cenários de ficção, da mesma forma que um filhote de tigre aprende habilidades úteis com brincadeiras grosseiras.

Não sei vocês, mas fazendo uso do meu viés da confirmação, acabei encontrando uma excelente justificativa para continuar a consumir literatura e não apenas livros técnicos e também a continuar com as maratonas de séries que num primeiro olhar podem parecer distopias feitas para adolescentes rebeldes, mas que no fim são uma boa fonte de aprendizado emocional, que pode ajudar em nossa preparação para situações inesperadas, contribuindo para aprimoramento de nossa resiliência para superá-las.

Em tempos de pandemia, não poderia haver reforço melhor de aprendizado e não poderia ter artigo melhor para se ler do que este publicado pela Nautilus. Afinal quem nunca teve culpa ou se atrapalho com a escolha entre livros técnicos ou literatura? Ou ainda, quem nunca pensou ser o tempo investido nas longas maratonas de seriados, uma grande perda de tempo?

Parece que não é bem assim, não é mesmo? Literatura, filmes, séries, arte tem muito a ensinar e consumir esse tipo de conteúdo, ao contrário de atrapalhar, pode ajudar a navegarmos por situações incertas, melhorando nossas reações a desafios, em dilemas ético-morais ou momentos difíceis pelos quais possamos passar.

Até a próxima Geeks! E boa maratona para vocês!

PS: conta aqui nos comentários a série, livro ou filme que você assistiu ou leu nos últimos meses e quais reflexões e aprendizados quer você levou deles.

PS.2: Se quiser ler o artigo publicado na Nautilus na íntegra é só clicar aqui.

About the author

Anderson Mattozinhos

Anderson Mattozinhos

Economista, bookaholic, tecnófilo e jogador inveterado de videogames.

Instagram

Invalid username or token.

Fique Atualizado

Categorias

Gostou desse conteúdo?

Se cadastre na nossa newsletter e não perca mais nada! Receba notícias, novidades sobre Economia Comportamental e atualizações de novos posts.

Você se cadastrou com sucesso!