Qual é a sua Matrix? - Geekonomics
Eureka

Qual é a sua Matrix?

matrix-capa-2

Quem é você na decisão entre continuar na Matrix ou tomar a pílula vermelha e acordar para dura realidade do mundo atual?

Esta semana resolvi revisitar alguns filmes antigos. Nada melhor do que um pouco mais de maturidade para entender e perceber sutilezas presentes nos filmes.

Um dos títulos que estiveram presentes em minha maratona pelos filmes antigos da minha adolescência foi Matrix. O filme continua muito atual, mostrando metáforas importantes para entendermos os dias de hoje.

Já no início o protagonista possui duas existências diferentes. Uma delas ela conhece bem como Mr. Anderson. A outra ainda é oculta a ele e para conhecê-la ele deverá escolher renunciar sua existência como Mr Anderson.

Uma decisão das mais difíceis se impõe então. Renunciar o conhecido mudo do status quo ou se aventurar pelo desconhecido?

Sem dúvidas uma decisão a se tomar, mas apesar de conhecido, nem sempre o status quo é o melhor para se estar. Então Mr. Anderson escolhe, numa cena marcante, ir ao desconhecido. Ele escolhe renunciar ao status quo.

Quando “acorda” em sua nova existência Mr. Anderson agora é Neo. Essa metáfora de acordar para outra existência não poderia ser mais bem aplicada no filme.

Neo então ao acordar no novo mundo, percebe que Mr. Anderson vivia num mundo de ilusões onde a Matrix criava todo tipo de distração e crenças para mascarar o que realmente acontecia. A Matrix na verdade era uma grande máquina que provinha alienação em troca de sugar todas as energias humanas para manter seu sistema de governança.

Mundos de ilusão estão por toda parte. As redes sociais são um exemplo. Agem muitas vezes como uma espécie de periódico do mundo ideal onde todos são cosmopolitas, inteligentes e lindos. Há ainda aquelas em que todos são ultra cultos, leem centenas de livros por ano e passam a vida a discutir suas crenças pré-estabelecidas com pessoas que compartilham das mesmas crenças. Negam o contraditório e criam sua Matrix onde a ilusão é de ter todas as certezas num mundo reduzido à simplicidade de suas próprias convicções e crenças.

Tem ainda a Matrix dos investidores, day traders e afins. Passam o dia a ensinar como ficar rico e como ganhar mais com os investimentos. Depois que arrebanham milhares de fiéis, também chamados de seguidores, passam a ganhar dinheiro de verdade vendendo cursos, mentorias e todo tipo de produto para ensinar como ter sucesso financeiro.

Como esses dois exemplos que citei acima, existem muitos outros. Todos com seus nichos e narrativas direcionadas ao público de forma coerente com aquilo que ofertam, mas com um objetivo comum: alienar você dentro da Matrix e sugar toda sua atenção, esforço e claro, dinheiro.

É preciso ter cuidado com a Matrix. No filme vemos um dos personagens que depois de escolher a existência no mundo real fora da ilusão da Matrix se arrepende. Ele deseja retornar para o mundo da ilusão, não suporta mais a realidade.

matrix - qual a sua

Nos dias atuais em que cada vez mais estamos nas redes, devemos repensar se esta nossa estadia não está se transformando numa Matrix. Precisamos olhar com atenção, estar ligados naquilo que consumimos e no comportamento que este consumo tem causado em nossas vidas.

Claro que tem muito conteúdo bom nas redes sociais. Evidente que se usadas de forma consciente, seletiva e sem exageros elas são um excelente instrumento de informação e interatividade. Mas se descuidarmos ou exageramos, nossas paixões podem nos levar a estados de negação da realidade.

Negar a realidade não nos ajuda em nada, apenas causa mais ansiedade e frustração. Negar a realidade é negar em última instância quem somos, é viver no mundo de sonhos escravizados por uma ilusão que tira as poucas chances de sucesso.

Escolher a realidade não é simples nem fácil. Mas lembre-se de que mesmo na Matrix, existiam pessoas infelizes, insatisfeitas e inquietas. A Matrix também é imperfeita, a diferença entre ela e o mundo real, é que as imperfeições são travestidas de desejos, falsas crenças e felicidades artificiais.

Que em 2021 possamos escolher não negar nossa realidade.

Até a próxima Geeks.

About the author

Anderson Mattozinhos

Anderson Mattozinhos

Economista, bookaholic, tecnófilo e jogador inveterado de videogames.

Instagram

Invalid username or token.

Fique Atualizado

Categorias

Gostou desse conteúdo?

Se cadastre na nossa newsletter e não perca mais nada! Receba notícias, novidades sobre Economia Comportamental e atualizações de novos posts.

Você se cadastrou com sucesso!